Cenário Político: disputa no PSDB será divisor de águas para Raquel


Colunas
18 de novembro de 2021 às 00h00min - Por Américo Rodrigo

Foto: Janaina Pepeu

Coluna da quinta

Como foi abordado na coluna de ontem (17), o PSDB realizará no próximo domingo (21) as prévias que vão escolher o candidato do partido à Presidência da República. O resultado também deve influenciar em alguns projetos estaduais, como é o caso de Pernambuco, onde a prefeita Raquel Lyra vem sendo cogitada para concorrer ao Governo do Estado. A tucana sempre demonstrou possuir mais alinhamento com o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e sua possível derrota na disputa interna, como vêm apontando os números, pode ser um divisor de águas para que Raquel mantenha a pré-candidatura ou apoie um outro nome da oposição. Armar palanque para João Doria não será uma tarefa fácil.

Deslocamento
Prefeitos e vices do PSDB estão integrados no grupo que votarão de forma presencial nas prévias do partido. Isso significa que Raquel Lyra e Rodrigo Pinheiro estarão em Brasília no próximo domingo (21) para depositar o voto em Eduardo Leite.

Ausência
Dos sete vereadores que foram eleitos pelo PSDB em Caruaru, apenas o decano da Casa, Leonardo Chaves, não se cadastrou no aplicativo para participar das prévias. Os vereadores têm um peso de 12,5% no processo de votação.

Maior
O Estado de São Paulo, comandado pelo governador João Doria, foi o que mais mobilizou filiados para votar nas prévias. Até o último domingo (15), data limite para se cadastrar no aplicativo, 26.197 pessoas garantiram presença.

Menor
Já o Estado de Roraima é o que menos terá participantes pelo aplicativo das prévias do PSDB no próximo domingo (21). Apenas 33 pessoas em um universo de 4.992 filiados demonstraram interesse em se envolver no processo interno da sigla.

Apoio
Diagnosticado com Parkinson em agosto deste ano, o senador José Serra anda distante dos holofotes, mas mesmo assim declarou ontem (17) o seu voto em João Doria nas prévias tucanas. O parlamentar já disputou a Presidência da República em 2002 e 2010, sendo derrotado em ambas.