Artigo: Política, reconstrução e coragem


Artigos
16 de janeiro de 2020 às 15h30min - Por Américo Rodrigo

Foto: Paula Cinquetti/Agência Senado

“O ano de 2019 foi de grandes desafios para o País. Apesar das confusões e das falas desencontradas por parte do Presidente da República e de seus filhos, há de se reconhecer avanços na pauta econômica. Porém, é justo destacar o protagonismo do Congresso Nacional que ajustou e melhorou propostas do executivo, em particular as regras de atualização da previdência social. Estávamos caminhando para um colapso nas contas públicas, além de perpetuar uma perversa relação entre alguns privilegiados e a grande massa da população.
É urgente avançar em outras reformas vitais para o Brasil. As distorções de receita entre as diversas regiões saltam aos olhos e ao bolso. Os impostos gerados por diferentes entes inibem o empreendedorismo, a geração de emprego e a cadeia produtiva.

Também não podemos conviver com o peso da máquina pública existente. É preciso torna-la mais justa, eficiente, ágil, delegando ao setor privado parte da burocracia pública. O pacto federativo tem a possibilidade de diminuir asfixia entre os organismos mais frágeis do país. Essas pautas começam com apelo econômico, mas trazem resultados virtuosos em benefícios sociais.

Sabemos que 2020 é um ano eleitoral, o que contribuiu para um ambiente mais confuso e instável no Congresso Nacional em função das movimentações por todo o País. Mas independente de ser um ano marcado pelas eleições municipais não devemos fugir das discussões importantes e necessárias para a nação. É preciso que todos desçam dos seus palanques e se unam em favor dos interesses do nosso povo.

É preciso manter e reforçar o exercício de convergência que vem sendo construído na Câmara e Senado Federal. A energia que precisamos nesse momento, deixando de lado interesses pessoais e partidários, deve ser voltada para a construção de consensos mínimos, da governabilidade e da harmonia do ambiente produtivo. As pautas estão além do governo instalado, e são essenciais para o equilíbrio das próximas gerações. Exigem pressa e coragem política.
Precisamos pensar no coletivo, na necessidade da maioria da população despossuída, na obrigação que temos como parlamentares eleitos pelo povo e para o povo. Temos que reconstruir o conceito da política como ferramenta preciosa de uma sociedade que busca a maturidade em sólidos princípios de governança e o bem estar da população.”

Jarbas Vasconcelos
Senador por Pernambuco


Comentários