Artigo: Não se transforma uma cidade pela educação sem o devido cuidado com os professores


Artigos
2 de março de 2020 às 18h12min - Por Américo Rodrigo

Foto: Vladimir Barreto

Gestão da prefeita Raquel Lyra (PSDB) demite mais de 100 professores/as. Pessoas com mais de 15 anos de trabalho na educação do município. Esse tipo de atitude só demonstra a falta de compreensão do que é educação e do que é ser professor/a. Demite os profissionais em março, após o início do ano letivos nas escolas privadas. Como esses docentes vão retornar para o mercado de trabalho agora? Justifica a demissões em massa por conta da tal seleção simplificada. Essas que a gestão têm feito e que têm sido questionadas pelo MP devido a forma. 

Há denúncias de que pessoas com notas menores entram na frente dos que têm melhores notas. Como? Por quê? Prefeita, o município precisa é de concurso público para professores. Mais de 60% do quadro são de contratados e estão em condição de extrema fragilidade empregatícia e de grande interferência política, além de não receberem o piso nacional estabelecido por lei Federal. 

Se a prefeita entende que não tem dinheiro para pagar mais professores efetivos, é importante se envolver no debate nacional em defesa do FUNDEB e dialogar com os projetos de financiamento da educação básica que hoje tramitam no Congresso e que podem garantir mais recursos. Caruaru é uma cidade polo e a representação da Prefeitura não deve ficar alheia aos debates nacionais que vêm acontecendo em relação ao financiamento das políticas públicas tão ameaçadas por esse Governo e tão fundamentais para a população mais carente. 

O deputado federal apoiado por Raquel tem grande sintonia com agenda do governo Bolsonaro. Qual seria a posição da prefeita em relação às políticas do Governo Federal? Ninguém nunca ouviu falar, né? Reclama das dificuldades com as verbas federais, mas apoiou Daniel Coelho (Cidadania) que votou a favor da PEC que congela os investimentos em educação e saúde por vinte anos. As consequências tendem a se aprofundar: estagnação da economia, desemprego e aumento da desigualdade. A demissão em massa dos professores nesse momento só demonstra como a gestão segue desconectada do Brasil real. Foi assim com o ambulantes, tem sido assim com os loteiros. A gestão afirma que está cuidando das pessoas, mas segue precarizando a vida do trabalhador e da trabalhadora caruaruense. Até quando?“

Daniel Finizola

Professor e vereador pelo PT em Caruaru


Comentários