Coluna da quarta-feira


Colunas
25 de novembro de 2020 às 00h00min - Por Américo Rodrigo

Foto: Carlos Lima

Entre erros e esperanças 

Contrário à candidatura de Marília Arraes (PT) no Recife, o atual vereador João da Costa (PT) tentou reeleição no último domingo (15), mas acabou sofrendo um revés nas urnas, recebendo 5.802 votos, o que lhe fez ficar novamente sem mandato a partir do próximo ano. O petista que deixou o Palácio Capibaribe no final de 2012 de forma traumática era um dos principais defensores da aliança com o PSB no período pré-eleitoral.

Considerado um dos piores prefeitos da história do Recife, o ex-gestor tem cometido uma série de erros e colecionado derrotas eleitorais. Caso Marília vença a eleição do próximo domingo (29), ainda há uma luz no fim do túnel para João da Costa: caso a vereadora eleita Liana Cirne (PT) ou a deputada estadual Teresa Leitão (PT) cheguem a ocupar uma secretaria na Prefeitura do Recife. Dessa forma, ele passa a assumir um mandato na Câmara Municipal ou Assembleia Legislativa, já que é 1º suplente das duas.

Jogado aos leões por João Campos nos últimos debates, o ex-prefeito resolveu sair em defesa do Partido dos Trabalhadores e subitamente declarou apoio a Marília, através de uma nota. Ontem (24), João da Costa foi mais além e reagiu ao movimento contra ele em uma postagem no Twitter: “No momento certo eu vou abrir a caixa de Pandora”, escreveu, dando a entender que possui alguma carta na manga que pode causar um estrago político à candidatura do herdeiro de Eduardo.

Mobilização – Políticos e lideranças que compõem a Frente Popular do Recife estão realizando plenárias e encontros para fortalecer a campanha de João Campos (PSB) nessa reta final. A ordem é ir às ruas e não descansar até o próximo domingo (29), dia de votação do 2º turno.

Expectativa – Após a divulgação dos números da Ipespe que trouxe Marília Arraes (PT) com 8 pontos percentuais à frente de João Campos (PSB), será divulgada hoje (25) mais uma pesquisa, agora do Instituto Ibope. Os números colhidos já vão trazer o impacto da denúncia divulgada pelo portal da revista Veja. A polêmica é a “bala de prata” dos socialistas.

Contradição – O ex-prefeito do Recife, Jarbas Vasconcelos (MDB), surgiu no programa eleitoral de João Campos (PSB) ontem (24). Agora senador, o emedebista foi um dos maiores desafetos políticos de Miguel Arraes. A aparição dele levanta uma contradição, já que o prefeiturável aponta que sua adversária está aliada aos inimigos de Arraes. Hoje, Jarbas deve seus últimos mandatos à Frente Popular.

Decisão – A Justiça Eleitoral determinou que a chapa formada por João Campos (PSB) e Isabella de Roldão (PDT) não patrocine mais a distribuição de panfletos contra Marília Arraes (PT) perto de templos religiosos. O material que trazia inverdades sobre a candidata era acompanhado de um outro panfleto com a imagem de João Campos e o slogan “A esperança que acolhe e transforma”.

Reabertura – Nas vésperas da votação do 2º turno, o prefeito do Recife Geraldo Julio (PSB) anunciou a programação de três dias para reabertura do Teatro do Parque, que será entregue ao público a partir do próximo dia 11 de dezembro. Nos próximos dias, a Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundação de Cultura, lançará o edital de ocupação da pauta do teatro de 105 anos de história.


Comentários