Suape desobstrui Rio Tatuoca com remoção de acesso provisório

Notícias
Publicado por Redação
26 de junho de 2024 às 15h15min
Foto: Divulgação

A administração do Complexo Industrial Portuário de Suape vai dar início, nos próximos dias, a um intervenção para remoção do acesso provisório ao Estaleiro Atlântico Sul (EAS) sobre o Rio Tatuoca, um dos cursos d’água mais importantes do território da estatal pernambucana. O serviço de derrocamento tem prazo para ser concluído em 60 dias, pois trata-se de uma intervenção de baixa complexidade técnica e de engenharia. 

As comunidades pesqueiras que atuam na região do atracadouro foram informadas, previamente, dos detalhes do serviço, numa reunião ocorrida, no dia 13 de maio, no auditório do centro administrativo da empresa. A licença de autorização da obra  foi expedida pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) no dia 5 de junho.

Construído em 2009 sobre o Rio Tatuoca, localizado em Ipojuca, o acesso provisório ao EAS foi parcialmente retirado em 2021. Naquele ano, foi aberto 31% do espaço da passagem molhada. Após essa primeira fase, houve a percepção de maior abundância de peixes na microbacia do rio. 

Com a abertura total, espera-se haver o restabelecimento da hidrodinâmica para as áreas à montante (mais baixas) do enrocamento com consequências benéficas ao ecossistema aquático. Além disso, a expectativa é de melhora dos elementos bióticos da microbacia do rio, com previsão de alterações para aumento do ecossistema manguezal.

Essa iniciativa vai aumentar a vazão do curso d’água e o fluxo hidrodinâmico das marés. Com esse restabelecimento, a área de inundação será expandida, o que deverá elevar a qualidade ambiental natural do ecossistema e dos recursos pesqueiros”, explica o diretor de Sustentabilidade de Suape, Carlos Cavalcanti.

Para executar a obra de derrocamento do acesso provisório, foi elaborado o relatório ambiental preliminar com o diagnóstico dos impactos ambientais da área onde será realizada a intervenção. Segundo o projeto de engenharia, o serviço exigirá o uso de equipamentos comuns, como escavadeiras hidráulicas e caminhões caçambas. Durante a execução da intervenção, serão realizados o monitoramento ambiental e o acompanhamento da intervenção.

Redação

Ouça agora AO VIVO