Coluna do sábado


Colunas
5 de setembro de 2020 às 00h00min - Por Américo Rodrigo

Foto: Ricardo Labastier

A pedra no sapato de Marília

Durante esta semana a pré-candidata a prefeita do Recife, Marilia Arraes (PT), terminou levando um puxão de orelha do presidente municipal do seu partido por afirmar que buscaria um diálogo com o governo Bolsonaro, caso fosse eleita. A nota diz que a petista quis fazer um “charme” com o eleitor bolsonarista e que a declaração era “individual e isolada”.

Contrariado por não ter o partido apoiando o nome de João Campos (PSB) para prefeito do Recife, Cirilo Mota adotou a máxima do “fogo amigo”, na tentativa de fragilizar o plano de Marília, já aprovado e referendado pela direção nacional do Partido dos Trabalhadores (PT). Na teoria é bonito afirmar que a política é a arte do diálogo, mas parece que na prática esses “companheiros” da deputada buscam mesmo é o desgaste.

Independente de divergências em posicionamentos políticos, todo gestor municipal deve buscar investimentos através dos governos estadual e federal, porque no fim das contas o que interessa é a melhoria de vida das pessoas. Pelo visto, os adversários internos a mando dos “aliados” externos farão de tudo para implodir o projeto da própria sigla. Vai entender.

Resposta imediata – Logo após a nota do diretório municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) ganhar repercussão, o ex-presidente Lula tratou logo de se posicionar em defesa de Marília. “Ela é o retrato da mulher ocupando seu espaço sem pedir licença”, disse o petista. “A Marília é porreta, boa de briga”, finalizou.

Menos aglomeração – O deputado federal Felipe Carreras (PSB) questionou a limitação no horário de funcionamento dos bancos. De acordo com o parlamentar, se aumentar o tempo de atendimento, a chance de evitar aglomeração é maior. A cobrança foi feita em sua conta no Twitter.

Custo próprio – Por maioria dos votos, foi aprovado um projeto, de autoria do deputado estadual Gustavo Gouveia (DEM), determinando que os presos do Sistema Prisional de Pernambuco paguem pelo uso da tornozeleira eletrônica. De acordo com o PL, os detentos terão que pagar os custos totais de forma proporcional ao tempo de utilização das tornozeleiras eletrônicas, e em caso de não possuir recursos próprios para realizar a restituição, deverão converter o pagamento em serviços prestados.

Encontro de incertezas – O empresário de eventos Tonynho Rodrigues (MDB) esteve reunido com o governador Paulo Câmara (PSB) nesta sexta-feira (04). De acordo com informações divulgadas pelo próprio Tonynho, a reunião tratou de interesses do setor em que ele atua. O encontro poderia até passar despercebido, caso ele não fosse  um dos cotados para ocupar uma vaga na majoritária com o apoio do Palácio.

Mais incertezas – O cenário para os emedebistas em Caruaru não é nada fácil. A desorganização na chapa proporcional é geral, causando um pânico entre os que pretendem disputar uma vaga na Câmara Municipal. A pouco mais de uma semana da convenção da sigla, os pré-candidatos têm cobrado uma reunião para definir os detalhes das eleições. Há quem garanta que pode haver desistências.


Comentários