Jornal aponta suposto caixa 2 de Marília Arraes; deputada nega


Notícias
29 de novembro de 2021 às 18h45min - Por Américo Rodrigo

Foto: Michel Jesus

Uma reportagem publicada na Folha de S. Paulo, revelou que a Polícia Federal está investigando a campanha de Marília Arraes (PT) para a Prefeitura de Recife em 2020.

Segundo a coluna Painel, a PF quer saber se a petista teria usado dinheiro de caixa 2, obtido por meio de empréstimo com um empresário de Pernambuco, que é investigado em diversos esquemas de desvios em contratos municipais e estaduais em Pernambuco.

Ainda segundo a coluna, a Justiça teria autorizado a abertura da investigação eleitoral depois que, em janeiro, a PF produziu um relatório sobre conversas do empresário com o marido da parlamentar. Segundo a PF, na conversa, ele pede um empréstimo no valor de R$ 1 milhão, em duas parcelas de R$ 500 mil. 

Como o pedido aconteceu em novembro de 2020, entre o primeiro e o segundo turno da eleição, os investigadores afirmam que é “bem razoável supor que os valores solicitados” seriam utilizados na campanha de Marília para a Prefeitura do Recife. O conteúdo estava no celular do motorista do empresário, que foi apreendido em uma das operações em que ele é alvo.

O relatório da PF aponta, conforme a reportagem, que o empresário é conhecido como “agiota e financiador de campanhas, possuindo bastante disponibilidade de recursos financeiros em espécie“. Ele ainda seria lider, diz a PF, de um grupo criminoso que há quase uma década é favorecido com “contratações milionárias firmadas notadamente por órgãos estaduais e por diversas prefeituras do estado de Pernambuco“.

Marília Arraes enviou nota afirmando que o marido não tem qualquer tipo de relação com o empresário e após ser informada da investigação pelos advogados, pediu perícia nos áudios para provar que a voz não é a dele. Segundo a deputada, seu marido ainda pediu celeridade nas investigações, e se caso ele tivesse envolvimento no caso, não teria interesse na conclusão do inquérito.

Na nota, a parlamentar, diz que o empresário “faz parte do círculo estreito de relacionamento de pessoas ligadas ao PSB”. A parlamentar disse estar admirada pela investigação ter chegado à imprensa logo após o seu discurso cara a cara com presidente da República, já que o material está sobre segredo de justiça. O texto finaliza com uma fala de Marília lamentando a divulgação do caso. 

“Minha família está sendo atacada, mas não revidaremos com a mesma moeda de nossos agressores. Responderemos da única forma que sempre fizemos: com a verdade e a transparência de quem sabe que está do lado certo da história”, disse.